segunda-feira, 26 de março de 2012

Nevascas de golpes [Campanha Greyhawk. Tenh 591. 2012ad]



A Longa marcha de volta a base da resistência se iniciou, a fera abatida não era mais ameaça, o sacrifício não séria esquecido. Os ventos fortes do inverno fizeram aquele sétimo dia do tigre ser devastador para a moral de seus valentes guerreiros. Avançavam aos primeiros raios da manhã, que foram logo encoberto por nuvens cinzas. O vento os castigava ainda mais, a sensação de frio triplicava, os pequenos flocos de neve começavam a bater-lhes o rosto castigando-os. O clima inclemente se agravou. A caminhada de poucos metros na neve era exaustiva.

O perigo se avizinhava com a noite que preenchia o mundo com mais escuridão, buscavam chegar a um bosque mas até a visão de quaisquer deste estava comprometida com o volume de neve, buscavam abrigo desesperadamente, tentaram se agitar e o frio persistia, a moral estava em seu limite. A hipotermia castigava-os, a noite fora um tormento de febre e frio correndo-lhes os ossos, tremedeira incessante. Batiam em si mesmo tentando parar os tremores involuntários. Prosseguiram o 'dia' seguinte em muito sofrimento, temeram perder parte de seus corpos.



Mais um dia de tremores e frio e busca desesperada por abrigo, que conseguem precariamente erguer em meio a nevascas castigante. Ao décimo dia do tigre, os reconfortantes raios de sol afastavam as escuras nuvens, as preces a Pelor parecem que foram ouvidas, os ventos fustigadores acalmaram-se até a brandura levando a toques de calor reconfortante. Arrastando-se fracos pelos castigos e provações, foram apanhado pelos cavaleiros da patrulha de defesa e nem se deram contam do fato. Exaustos caíram em sono recuperador. Levados aos curandeiros, acordaram em meio a confortáveis camas de palhas e grossas e quentes cobertas de lã. Vinham-lhes trazer a refeição quente. Como de senso de dever com a sua missão quiseram levantar-se se por as armas e fazer o relato. Exaustos e convencidos por estar em seguram deram trégua aos cuidados oferecidos. Três dias se passaram. 

Ao décimo terceiro dia do tigre, viram a importância de livrar as estradas, ou trilhas seguras, do inimigo, montaram pelotão de mercenários que pagaram de próprio butim encontrado frente a inimigo. Três dias patrulharam as estradas e as acharam segura, até se depararem com guerreiros orcs brutais, o embate fora violento e cruel, seus mercenários caiam a simples golpes, mas o inimigo também sofreu pesadas baixas nesse conflito de atrito, a estrada estava coberta de corpos, e os defensores de Tenh mais uma vez caíram, sorte deles que inconscientes ante a morte certa, no dia seguinte a tragédia, os dois companheiros sobreviventes reavivados, feridos e derrotados, arrastavam-se até Redspan. 



Mais uma vez foram apanhados pelos cavaleiros da patrulha. Apanhados ao chão, em delírio, levados a socorro urgente. Passaram mais tempo a se recuperar. Celty enveredou, depois da recuperação, pelos idos do vigésimo quinto dia do tigre, a montar tropas a soldo dela, para combater de vez o inimigo das linhas do norte e pôs em prática seu intento. 

Com recruta Tor, Celty pôs a trabalhar um pelotão, que se dirigiu a linha de frente. Encarando a linha inimiga, de ordenados Hobgoblins, que foram rapidamente despachados a seu senhor de trevas. Avançaram até ter embate com a segunda leva. Com fácil vitória, avançaram como linha de vanguarda, e deram de cara com os alabardeiros traidores dos punhos de pedra. Que derrubaram o anão Tor a um golpe e puseram as forças de Tenh em recuo imediato. 

Voltaram a base feridos e furiosos, contrataram mais mercenários (milicianos ávidos por quaisquer moedas de ouro) e recompuseram sua pretensa companhia de guerreiros. Caçaram os alabardeiros, em movimentação que empolgou as linhas de defesa que acompanhavam a Temerária empreitada contra o inimigo. Depararam-se com um possível "oficial" inimigo, um monstro de era antigas, um 'dragoniano', besta vil... Um seta certeira fez a criatura cambalear antes mesmo de dar combate. Com certeza isso a deixou furiosa. O anão a fustigou com golpes pelos flancos, fazendo-a ficar mais furiosa. A execução fora rápida, para alegria da defesa, e deram caça aos alabardeiros. 

O embate com os alabardeiro se seguiu, reorganizados e zombando novamente da atuação "insana" do inimigo, puseram em riste suas alabardas. Assegurando o perímetro, investiram contra os alabardeiros. Ódio faiscavam de seus olhos, os alabardeiros ignoravam os golpes e seguiram em direção de abater os arqueiros. Mas ignorar o guerreiro miúdo prejudicou a estratégia. Tiveram de dividir a linha e mal puderam atacar os arqueiros pois o inimigo nanico ao centro demanda-lhes atenção, e quase conseguindo atacar Celty a viram saltar elficamente de um lado a outro fugindo dos golpes certeiros e mortais das alabardas. Mas no ultimo instante um alabarda acertou-a e derrubo-a enfim, mas ai ela preparou certeiras setas. 

Cercados e sangrando foram postos fora de combates e abatidos. O perseguidor de Celty prevendo sua morte, rendeu-se célere esperando o ato piedoso da rendição. Mas foram massacrados todos. A linha de defesa não viam todos os movimentos mais quando perceberam o fim dos Albardeiros ficaram exultantes.
Que proezas sanguinolentas, ainda os esperavam?