domingo, 21 de março de 2010

Além das Terras Imperiais: Questões Morais?


Fortaleza de Feira de Santana e a volta para Orbis.

De 2/3º/1009 cm à 2/4º/1009 do computo de Morgan.

Nos embates após a Grande emboscada e o rompimento das linhas da Expedição do Exército da Torre Branca, foram perseguidos por bruxas. O embate fora rápido e repelindo a ameaça, seguiram a longa marcha a Fortaleza de Feira de Santana. Tão breve recuperaram de parcos ferimentos, o cerco a fortaleza se abateu ferozmente por 12 dias. Homens arvores atacaram impiedosamente a fortaleza. O fracasso retubante da investida de cerco foi tamanha, a represália a fogo e fúria fora demasiado as força da Floresta de Abadia, um novo impasse se seguiu, mas dessa vez estava em territórios da Torre Branca. Não se tendo noticias a muito tempo, alguns meses, da sobrevivência da Torre do Sátiro.

Os aventureiros seguiram em saque na cidade durante a distração, antes de seguirem para se preparar junto ao exercito a espera de novas ordens de guerra. Em poucos dias saíram em missão em busca da virada na guerra, fugindo das linhas de vigília e patrulha. Chegando ao alvo de seu intuito de morte, combateram um Unicórnio, a lembrança e a vergonha os abateram, recuando cabisbaixos e envergonhados pelo intuito, o qual não concluíram. Tamanho horror com as ordens da Torre Branca, que desertaram e seguiram ao norte a fim de chegar a fronteira. Logo chegaram a Cidade de Abadia. Atravessaram o Grande rio Real e chegaram a Indiaroba, cruzando os campos queimados, seguiram até a Santa Luzia do Itanhi, antes de chegar queimaram seus símbolos da Torre Branca, rejeitando a brados seus vínculos com tal exercito, exceto por Filomeno o encapetado.

Dessa forma, puseram-se no "bom caminho", segundo Fulô. Um novo desafio chegou, com os opositores e saqueadores, o Lorde do Muco e seus asseclas.