quarta-feira, 10 de março de 2010

Orbis Imperial - Feudo de Propriá












Feudo de Propriá


Ano de 1009 de Morgan Nosso Senhor, O Justo e Piedoso.
Nossos irmãos de jornada começaram suas aventuras na cidade gloriosa de todos os urubus de Propriá, em uma tarde linda e seca do primeiro mês, avistaram-se na ampla praça da cidade que dá vista ao grande rio do pio deus que é amigo de Morgan. Seguiram-se velhas saudações sob o forte sol da tarde e a brisa refrescante do rio, viram a grande embarcação com seus estandartes vermelhos dos Dans vindos do distante 'norte' além mar, trazendo grandes saques das costas perigosas e mortais das Zalagoas.
Interessaram-se logo pela embarcação 'Vermelha' e os rumores de lugares desconhecidos e produtos 'variados' disponíveis, logo após um breve passeio frente a taverna, cruzaram a praça em direção a embarcação. Souberam de novas possibilidades com o capitão e avaliaram as varias mercadorias por longos momentos.
Seguiram depois, pois havia um rumor de invasores, possivelmente hostis, ao lestes de Propriá seguindo em direção a Japaratuba, pelas trilhas e emaranhados das selvagens selvas naquelas redondezas. Oitos longos dias se passaram. Encontraram então um pequeno forte coberto de placas de Bronze em meio a vegetação. Avistaram logo de cara dois kobolds guardando a entrada de tão estranha construção em meio ao mato. Em rápida manobra avançaram, a criatura amarela e alienígena chamada de Caitith, lançou suas energias misticas sobre o Kobolde desatento, a espada magica clamava as viceras da criatura quem em poderoso solavanco fora arrastada três longos metros em urros. O orc, chamado Fulô , desceu poderosos golpes em complemento a tão aterrador golpe, não deixando por menos. O Lagarto Filomêno lançou seu cuspe ácido no outro kobold, que atônito não perceberá a lamina desafiante que golpeava-lhe impunemente. Tão rápido feito findos os kobolds, desceram pela entrada escada abaixo, acendendo duas tochas, avistaram de imediato o Kobolde guardião e suas lâminas que guarnecia uma grande fenda poço que deve ter vários metros de profundidade. De Imediato o Lagarto Filomeno postou-se em combate e ameaçou a criatura com seu feroz desafio, golpeando-a atrozmente e se recuo, a criatura reagiu antes que os companheiros pudessem agir, golpeando feroz e habilmente Filomeno que surpreso sangrava. Coisa que não foi deixada por menos pelos hábeis camaradas de Filomeno, que seguiram a golpes o Kobolde guardião. Este jazia antes de poder interceder em sua defesa. Resta saber o que guarda as profundezas de tais vilões e sua fortificação de Bronze e Cobre.