sábado, 15 de setembro de 2012

Companhia de Mercenários Cerva Andante [Campanha Local]




Há muitas controvérsias acerca da existência dessa companhia. Como e porque halflings iriam querer ser mercenários, e principalmente guerreiros? Muitos nos dias atuais nem questionam isso, coisas estranhas demais acontecem o tempo todo nesses tempos de guerra. O que teria demais de halflings pegarem em armas? Certamente para um povo cansado em meio a horrores da guerra isso não importa. A questão é que era uma companhia comercial de cervejeiros, halflings alegres bebendo seus produtos muito mais que vendendo, indo de lá para cá nas terras civilizadas, e até mesmo indo visitar os estranhos stoneholds em tempos menos sombrios.
Tudo se perdeu para os halflings, como também para muitos, perderam seus lares nas colinas distantes, não puderam fugir a Calbut,e muitos horrores de tamanhos gigantescos para o pequeno povo. A pequena companhia perderá a alegria típica dos halflings, esboçando a "alegria" austera que qualquer confundiria de imediato com os do Skaws. Uma aura fúnebre os cobriu, muita dor e sofrimento transparecem em seus tons ríspidos e de seu humor perverso e negro. Todos os Halflings que puderam fugir foram para os mais distantes recônditos do mundo atravessaram Nyrond para o sul, outros dizem foram para a distante cidade de Greyhawk, e outros mais desesperados acabaram nas terras brilhantes do mago. 
Mas aqueles poucos que ficaram se juntaram a companhia cervejeira errante. Lutando contra patrulhas e emboscadas a cada caminho que percorriam. Conseguiram nas vezes que fugiam fazer escoltas e receberam recompensas por tais feitos, os halflings mudaram. Aproveitando-se de emboscadas, infiltração em campos inimigos, e da visão dos outros ainda a seu respeito usando canecas pesadas de metal e garrotes começaram a finalizar seus inimigos e por extensão os inimigos da civilização e dos povos de Tenh. Suas carroças pequenas com cores alegres ainda serve de engodo contra o inimigo, revelando-se assim que atacada como uma base fortificada com placas pesadas de madeira e reforços metálicos e seteiras para seus besteiros lançarem suas setas continuamente enquanto seus escaramuçadores e escoltas enfraquecem e finalizam os inimigos.
A estrada de sangue os levou a ponte vermelha, em que sua defesa estratégica da ponte e segurar o inimigo a tempo da chegada da carga da cavalaria das forças do Ducado foram fundamentais. Claro que sua primeira carroça fora destroçada nesse processo, mas um lugar entre os queridos do ducado fora garantida.
Estabeleceram base juntamente com as forças do Ducado em Redspan em que tiveram sua propriedade e puderam depois de uma década ou mais de conflitos fazer uma cerveja, ruim devido aos parcos materiais mas de grande demanda. Não deixaram de ser mercenários todavia, não vêem a grande multidão humana como apta a dar combate, e ainda os acha fracos aliados, são indiferentes aos Thornhelm, vêem como piada a comoção em torno do culto a Celty. Enquanto isso aproveitam a oportunidade para dar combate ao inimigo, assassinando os inimigos e traidores, e neste caso cooperando com o Mestre Espião, que muitos suspeitam que sejam o próprio líder do Cerva Andante. As operações apenas começam com a última caneca de cerveja na taverna.